Ministério dos Transportes
Sociedade

Camiões-cisterna de água atenuam impacto da seca


À imprensa depois da visita que o Presidente da República efectuou à comuna do Curoca, o administrador anunciou que, além da construção dos 11 sistemas de água no quadro das acções de emergência, a administração comunal deve recuperar mais três sistemas de água. 



Sem entrar em detalhes, o responsável disse que os sistemas devem abranger também a localidade do Iona. Para tal, estão já disponíveis 200 milhões de kwanzas e a mobilização das empresas para o concurso público está feita, para que imediatamente seja minimizado o impacto da seca. 



“Este é um programa de emergência e a qualquer momento as empresas que passarem pelo concurso podem aparecer para iniciar com as obras”, referiu, acrescentando que esta é uma solução provisória enquanto a definitiva ainda não surgiu. 



Para Alexandre Nhuca, uma solução definitiva para o combate à seca no Curoca e Virei passa pelo aproveitamento do potencial do rio Cunene, que dista a 200 quilómetros da localidade.



O administrador sublinhou que uma solução desta envergadura seria definitiva, porém muito cara.



“A administração entende que este problema pode ser resolvido de forma definitiva, aproveitando o rio Cunene. O município do Tômbwa é o único da província que tem um rio permanente, que é o rio Cunene. Mas deste rio nada aproveitamos, infelizmente. É o momento de começarmos a pensar muito seriamente em encontrarmos uma solução definitiva a partir deste rio”, disse Alexandre Nhuca, acrescentando que técnicos dizem que é possível transferir água do rio Cunene para o rio Curoca ou utilizando o rio como fonte para a produção de pasto na região.



Quanto ao gado morto, o responsável disse não ter dados senão os que apontam para a morte de apenas quatro cabeças de gado, podendo ser mais, pois trata-se de uma população que pratica inevitavelmente a transumância. “Há muito gado do Tômbwa que está na Bibala à procura de pasto”, indicou.



Garantias do Presidente



Numa visita a um dos locais afectados pela seca, a comuna do Curoca, município do Tômbwa, o Presidente da República, João Lourenço, garantiu, enquanto Titular do Poder Executivo, que vai envidar esforços para que sejam encontradas soluções imediatas para a situação que afecta as mais de 3 mil famílias que vivem na localidade.



Acompanhado da primeira-dama da República, Ana Dias Lourenço, e de alguns ministros, o Presidente da República caminhou pela comuna e recebeu explicações do administrador Alexandre Nhuca, bem defronte do “Lago Seco do Carvalhão", o único espaço com alguma vegetação.



“Acreditamos em resultados positivos dessa visita. Recebemos algumas garantias de apoio e orientação de como trabalhar naquilo que ao nosso nível podemos fazer”, disse o administrador municipal do Tômbwa. O Presidente da República deslocou-se ao Curoca para avaliar o impacto da seca prolongada que afecta a localidade.



Jornal de Angola